Tom de chamada

Eu ligo. Eu lembro o número. Eu nunca esqueci o número. Eu lembro da voz. Da voz doce dela. Eu lembro do tom de voz quando atendia o telefone. Só que não há ninguém do outro lado. O tom de chamada já deu lugar ao silêncio. Eu quero falar o quanto ela era importante para mim, o quanto eu queria ter sido doce com ela, o como as coisas estão dando certo agora, o como tudo isso dói em mim. Mas não dá mais. Não tem mais ninguém do outro lado.

imagem: [Giulio Paolini Académie 3, 1965]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo