por que você não deve transformar seus sonhos numa lista de quadradinhos para ticar

Você já teve aquela sensação de que seu projeto não tá indo pra lugar nenhum? De que parece que não teve sucesso essa ideia então é melhor eu desistir? Ou de que eu tenho dedicado tanto tempo nisso, trabalhando pesado, mas nada acontece?

Primeiro eu gostaria de te perguntar: o que é “sucesso” pra você?

Pare alguns minutinhos pra pensar e tente chegar numa resposta. Que talvez ela até já esteja aí na ponta da língua e você nem precise destes minutinhos.
“Ah, sucesso é quando eu lotar o teatro todos os dias, com filas e filas de espera de pessoas querendo ver minha peça.” “Quando eu conseguir expor minhas fotos numa galeria importante, aí vou ter conseguido meu sucesso.” “Quando minha marca de roupas participar daquele desfile importantão.” “Assim que eu conseguir entrar p’raquela compania de dança fodona.”

A gente tá acostumado em pensar no sucesso como um evento, né! Como alguma task lá da sua lista de coisas pra fazer que só falta dar um check nela pra concluir.

“Homeland” colagem de Franz Falckenhaus

Eu nasci e cresci numa cidadezinha do interior de Minas Gerais e lá eu comecei a fazer teatro com 12 anos porque eu queria ser ator da novela Chiquititas (sim! rs). Só que eu não consegui dar esse check aí da lista mas eu acabei me apaixonando pela arte de atuar e alguns anos depois descobri que existia a EAD, Escola de Arte Dramática da Usp. Uma escola fodona que pra mim era onde eu tinha de estudar porque eu seria um ator incrível, com uma carreira de sucesso pela frente. Então eu vim pra São Paulo tentar passar no teste e, depois de três tentativas, falhei em todas elas. Falhei porque não consegui também dar esse check lá na minha listinha de “coisas a fazer para ter sucesso”.

Mais alguns anos se passaram e eu acabei indo fazer outros cursos, conheci pessoas maravilhosas, comecei a trabalhar em pequenos projetos e lá estava eu tentando novamente concluir uma etapa, marcar outro quadradinho de uma lista imaginária (porque eu nunca montei ela de fato) que dizia que eu precisava conseguir aquela coisa X pra ter sucesso na carreira que eu tinha escolhido, na minha vida.

Falhei!

Num resumo bem rápido porque senão eu faria um e-mail de trocentas páginas, eu acabei me afastando do teatro como carreira porque novas oportunidades surgiram e tomei outros caminhos. E aí uns tempos atrás eu fiquei pensando nessa coisa de “sucesso”. Será que eu não tive sucesso na minha carreira? Será que eu não tive sucesso na minha vida?

A gente é muito viciado em olhar pro sucesso como um resultado. E se você não alcançar ele você falhou. A vida foi injusta com você, você não teve sorte, as outras pessoas são melhores e outros pensamentos depreciativos que estamos acostumados a praticar com nós mesmos.

Mas a questão é o processo, saca! O sucesso tá em você viver o processo sem desistir dele. Sucesso é você lidar com estes momentos de tédio, de falta de motivação, que parecem que você tá fazendo tudo pra nada mas você se esforça pra lidar com eles, pra continuar fazendo, e lá na frente você vai se dar conta do quão positivo foi tudo isso.

Num exercício que eu fiz recentemente de olhar pra trás, pra essa minha história de “falhas” e pensar no processo, eu me dei conta do quanto de experiências do caralho eu tive. De trabalhar com pessoas que eu admiro, de viajar e conhecer cidadezinhas que eu nem sabia que existiam, de aprender a operar equipamentos de iluminação e cuidar da luz de uma peça que eu tinha assistido umas duas vezes só, de escrever uma peça e publicar um livro ao lado de escritores fodas, de criar trilha sonora sem nem saber tocar um instrumento e muitas outras loucuras.

E hoje, apesar de não estar envolvido com o teatro, eu me envolvi cada vez mais com a criatividade. Com processos que estimulam e desafiam essa minha habilidade e que me fazem enxergar o sucesso que tem sido tudo isso. E mais, me ensina a todo dia fazer um pouquinho, para que esse novo projeto e quaisquer outros que venham pela frente possam ser aproveitados ao máximo porque não vai importar pra mim o resultado, o check lá da lista. Vai importar a vivência, o dia a dia, o aprendizado e as pessoas que vou encontrar.

Não desista dos seus sonhos mas não transforme eles em quadradinhos de uma lista que você precisa ir ticando. Foque no processo que faz parte deles, naquilo que você vai construir dia a dia. Porque aí quando a vida fizer curvas, você não vai encarar elas como um desvio da rota ou mesmo como ter se perdido ou falhado no caminho. É só um caminho e é esse o sucesso.

*esse texto é uma newsletter para criativos que eu escrevo quinzenalmente e você pode receber também. clique aqui para se inscrever. =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo